sábado, 31 de dezembro de 2016

Oração pela Paz


Deus da Paz, a humanidade toda clama por ti. Que a tua paz venha sobre nós como a chuva da manhã que lava e embebe os campos sedentos de água, que ela venha para que os inimigos se deem as mãos e se beijem fraternalmente; que a paz venha como o vento e a brisa da tarde, que afagam os rostos cansados pelo trabalho do dia.
Que a tua paz seja acolhida por corações que trabalham pela unidade, por corações que esmagam o verme do egoísmo e partilham o pão da afeição e da vida, por todos aqueles que sentem que ela é fruto de vidas novas, de corações novos, de humanidade nova.
Deus da graça, ajuda-nos a assumir o milagre do teu amor com humildade. Desperta em nós a gratidão como resposta ao amor que tens para conosco, para que amemos a ti e as pessoas próximas.
Criadora, vem e acende em nós a chama da fé e da esperança. Aproxima-te de nós. Faze com que andemos de cabeça erguida e confiemos na tua presença junto a nós.
Deus, acorda-nos para podermos ouvir tua Palavra com ouvidos atentos. Ensina-nos a sonhar com a vida em abundância, livre e envolta pela paz e a justiça de Jesus. Amém.

Beta Lieven



quinta-feira, 29 de dezembro de 2016

A GENTE AINDA NÃO SABIA






A gente ainda não sabia que a Terra era redonda.
E pensava-se que nalgum lugar, muito longe,
deveria haver num velho poste uma tabuleta qualquer
- uma tabuleta meio torta
- e onde se lia, em letras rústicas: FIM DO MUNDO.
Ah! depois nos ensinaram que o mundo não tem fim
e não havia remédio senão irmos andando às tontas
como formigas na casca de uma laranja.
Como era possível, como era possível, meu Deus,
viver naquela confusão?
Foi por isso que estabelecemos uma porção de fins de mundo...



Mario Quintana - A Vaca e o hipogrifo




domingo, 25 de dezembro de 2016

Aniversário de Jesus


Confissão de Fé no Tempo de Natal



Cremos que, quando o mundo descobrir o menino Jesus e crer nele,
tudo será maravilhoso, o amor terá lugar.
Cremos que o seu amor transforma a nossa vida e renova a vida no mundo.
Por isso queremos agir em amor, em justiça, em paz, em esperança e fé
 – mas, sobretudo, em amor.
Não temos medo. Ele está no meio de nós.
Ele está ao nosso lado.
Cremos que ele nos guia pelos caminhos da vida.
Cremos que ele nos dá a vida que não termina, a vida que ressuscita, que é eterna;
Cremos que vão chegar o novo céu e a nova terra em que habita paz e justiça.
Cremos que ele abençoa a nossa vida.
Jesus Cristo é a vida no mundo.
Ele é o nosso Salvador.
Amém.


Beta Lieven


Confissão de Pecados no Tempo de Natal


Querido Deus, nós confessamos que somos pessoas fracas no amor. 
Temos dificuldades de crer que na criança de Belém teu Filho veio ao mundo.
Mais uma vez, revela-nos que o Menino-Deus vem ao mundo, 
em seu jeito simples, em seu berço pobre, 
para nos ensinar a viver a paz, a justiça e a fraternidade.
Perdoa a nossa falta de fé e ajude-nos a entender 
o verdadeiro sentido do Natal em nossas vidas.
Neste Natal faze a tua luz vencer a nossa escuridão. 
Tem piedade de nós Deus de Amor!

Beta Lieven

sábado, 24 de dezembro de 2016

Esperançar


Oração de Natal




Ó Senhor, que visitas o mundo, 
manifestando tua misericórdia,
enche nossa vida de esperança,
abre nosso caminho para celebrar tua chegada,
visita-nos, mais uma vez, 
com a graça de teu Espírito...


Ó defensor dos pobres,
refúgio dos fracos, 
alívio dos pecadores,
tem piedade de nós,
vem salvar o que está perdido,
vem criar um mundo novo.
Concede-nos a tua paz!


Paulo Roberto Rodrigues

quarta-feira, 21 de dezembro de 2016

Noite Santa

"Noite Santa", a obra de Lucas Cranach, o Velho, de 1537, surpreende. Há um vibrante jogo de cores destacando o que é essencial. No centro, o menino Jesus deitado numa manjedoura de pedra, certamente dura e fria (um prenúncio de sepulcro, de morte?). Ao seu redor, seis pequenos anjos em atitudes de respeito, devoção e adoração, atitudes essas tão necessárias quando se celebra o Natal de Cristo. À esquerda, Maria, em sua beleza e pureza juvenil, com sua face envolta por clara luz e com seu olhar voltado para a criança. Suas mãos, dirigidas à criança, como que preparando-se para, amorosamente, segurá-la. Ao lado de Maria, José, ajoelhado, em oração silenciosa. À direita, os animais expressando que no menino se concretiza o reinado de paz anunciado em Isaías 11.6-7. Também à direita, os pastores de ovelhas, curiosos, tentando entender a intrigante cena. Ao fundo, no centro, contrastando com os tons cinzentos, em cores claras e douradas, uma multidão de pequenos anjos, tal qual exército celestial cantando hinos de louvor a Deus, dizendo: "Glória a Deus nas maiores alturas do céu! E paz na terra para as pessoas a quem ele quer bem!" (Lucas 2.14). Que Jesus Cristo, o "Príncipe da Paz" (Isaías 9.6), nos anime e fortaleça para ações que tornem nossa realidade menos cinzenta e mais colorida.
Abençoado Natal de Jesus Cristo. 
Um ano de 2017 com saúde e alegrias fundamentadas na fé no Deus Triúno.

Yedo Brandenburg e família


domingo, 18 de dezembro de 2016

Bendito aquele que vem

Quarto Domingo de Advento



Bendito aquele que vem, 
renova-nos por dentro e nos concede alegria. 
Bendito aquele que vem a traz consigo a esperança.

Beta Lieven


domingo, 27 de novembro de 2016

Prepara, Senhor, nossas mãos




Prepara, Senhor, nossas mãos para um toque diferente.
Para despertar ternura, afeto, consolo e amizade.
Que elas possam brindar, sustentar, construir e orientar.

Prepara, Senhor, nossos braços para um encontro diferente.
Para sentir a unidade, a proximidade,
o manto da misericórdia que nos cobre,
o calor que nos faz um só corpo.
Que eles possam fortalecer, proteger, alcançar a quem está longe.



Prepara, Senhor, nossos ombros para uma carga diferente:
o peso das lágrimas alheias, da culpa do mundo,
da própria cruz e de tantas outras.
Que eles possam ser cavalgadura dos filhos e filhas
que entram no Reino de Deus.



Prepara, Senhor, nosso coração para um pulsar diferente.
Para bombear a vida que se esgota,
para sentir-nos dentro desse grande peito
que é a comunidade e a terra.
Que ele possa alegrar-se, festejar, ser redimido do desamor
e do abismo da prepotência.


Prepara, Senhor, nossa mente para uma verdade diferente.
Para pensar em como viver de outra maneira, com pureza,
justiça, sabedoria, honradez e confiança.
Que nossas idéias possam nascer todos os dias
e compreender como o sol, que dá a luz sem discriminação,
sem julgar, sem submeter, sem condenar.

Prepara, Senhor, nossos pés para um caminho diferente.
Para vencer o veneno, a traição e o medo.
Para pisar como de dia, sem cansaço, sem receios.
Que eles levem a boa notícia, o bom humor, o bom semblante,
a boa fé, nossos corpos humildes ressuscitados por tua Palavra.
Amém

(Amós López, Cuba).



Oração no Tempo de Advento




Graças, Deus Amoroso, pelo Tempo de Advento
que se instala em nosso meio para iluminar a nossa escuridão.


Graças, porque o teu amor nos alcança quando estamos angustiadas e amedrontados.

Graças, porque podemos confiar em ti, no teu poder de transformar a nossa vida e o mundo.
Assim, podemos esperar e sonhar com dias melhores.

Graças, porque nos permites criar e experimentar ambientes de partilha,
de comunhão, de paz e de esperança viva.
Alimenta, Senhor, a nossa sede de vida.
Por Jesus Cristo. 
Amém.


Beta Lieven


quinta-feira, 24 de novembro de 2016

CHARIS (χαρις)

Dia Nacional de Ação de Graças




O termo grego χαρις aparece 158 vezes nos livros do Novo Testamento. É um verbete central do Evangelho, com destaque para a Teologia do Apóstolo Paulo, e tem significado inalienável para o luteranismo. χαρις é "graça". Segundo Lutero, nossa redenção é pura χαρις (graça) de Deus.

Por esse caminho etimológico (etimologia é a ciência que estuda a origem das palavras), χαρις é algo que nos é dado sem que nada seja cobrado em troca. Assim a χαρις (graça) que produz a nossa salvação não se encaixa em nenhuma matemática. Não existe calculadora em condições de calcular a χαρις de Deus consumada em Cristo.

χαρις deu origem a termos conhecidos da nossa língua portuguesa, como CARIdade e CARIsma. O termo grego χαρις tornou-se "gratia" no latim, o que contribui para que nem sempre percebamos a etimologia das palavras a que χαρις deu origem.

"CARIdade" é algo que você faz por doação, "por" graça e "de" graça, sem colocar na ata da sua vida como algo a ser cobrado mais tarde.

"CARIsma" é uma capacidade ou habilidade que você recebeu, que lhe foi dada. Por isso, é um DOM, algo que lhe foi dado. E é bom que fique claro que você o recebeu sem merecimento. Não existe meritocracia na χαρις!

Assim, é de lamentar que no termo CARISmático o uso do verbete se resuma a classificar um grupo de cristãos pelo uso de "dons" específicos como o de falar em línguas ou de cura, o que muitas vezes é visto como um privilégio ou um dom especial dado a cristãos que são mais e melhores do que os outros. A χαρις de Deus não usa esse tipo de classificação. TODOS e TODAS são agraciados (olha o termo GRATIA aí!) com dons. É só descobrir e usar o seu!

Por isso, GRATIA produz GRATIDÃO. Seja agradecido! Seja agradecida! Hoje é o Dia Nacional de Ação de Graças. Aproveite para usar seu CARIsma e fazer CARIdade.

Que Deus abençoe o seu dia!


CLÓVIS HORST LINDNER



segunda-feira, 31 de outubro de 2016

Desafio da Igreja

 "Nosso desafio não é o de criar cristãos, mas de criar pessoas honestas, humanas, solidárias, compassivas, respeitosas da natureza dos outros. Se conseguirmos isso é o sonho de Jesus realizado.
Há outro dito que diz: onde estão os pobres está Cristo, e onde está Cristo está a Igreja. Só que não é verdade que onde está o pobre está a Igreja. Ela está mais perto do palácio de Herodes do que da gruta de Belém. A Igreja precisa ver qual é o seu lugar na sociedade." (Leonardo Boff)




POR UMA REFORMA QUE LIBERTE MULHERES E HOMENS

A Pastoral Popular Luterana motivada pela celebração dos 500 anos da Reforma Protestante, com os pés firmes no contexto latino-americano, corajosamente olha para os desafios que estão postos para os próximos quinhentos anos. A Igreja de Jesus Cristo tem o compromisso de superar todas as formas de injustiça que invisibilizam a imagem de Deus dada a cada pessoa, independentemente de credo, gênero, etnia, idade, e classe social.
Percebemos que uma das mais duras formas de negação da dignidade das pessoas está ligada as violências relacionadas às questões de gênero. Cientes disso e motivadas pelo Evangelho Libertador de Jesus Cristo, na ótica da confessionalidade luterana, assumimos o compromisso de visibilizar os sofrimentos que emergem dessa injusta realidade.
Motivadas por um misto de sofrimento, fé, luta e esperança e por tudo o que o Movimento da Reforma significa para os nossos dias apresentamos, em forma artística, nossa perspectiva teológica.
Catarina e Lutero: As injustiças de gênero violentam tanto mulheres como homens, por outro lado, ambas e ambos são chamadas e chamados a se aliarem na luta por justiça e igualdade.
Olhar: Evangélico, que compromete e, ao mesmo tempo, aponta para os desafios históricos, sociais, culturais colocados para a fé cristã.
Marcas nos rostos: Contam a história de quem foram, onde estiveram, o que fizeram e onde chegaram. Mulheres e homens carregam as marcas de uma sociedade que coloca padrões distintos do que se deve ser, de onde se deve estar, do que se deve fazer e de onde se deve chegar a partir das características biológicas.
Flores: Simbolizam o sofrimento e o luto, mas também a beleza e a esperança na vida que se renova com a justiça.
Pássaro: Liberdade com igualdade, que é o horizonte de todo chamado para transformações e mudanças na vida cotidiana e nas estruturas da sociedade e da igreja.

Cremos em um futuro de justiça e libertação para todas e todos!

Arte: Jackson Brum

quarta-feira, 12 de outubro de 2016

Crianças, que beleza aprender com elas!




Para Luíza e Gabriel


O Deus vivo chega até nós
de um jeito surpreendente.
Vem na pele de um menino 
Nascido numa estrebaria
Entre animais e palha macia.
Que beleza! Que liberdade! Que graça!
Ah, nesse Deus tão frágil, tão humano
É preciso crer.
Mas ele vem ainda e sempre
Na voz, na inteligência e na liberdade
De outras crianças que nos surpreendem
Com sua criatividade e alegria.
Louvo a este Deus pelas crianças.
No seu dia – que é todo dia –
E penso nelas e me junto às pessoas
Que neste país lutam pela vida
Das crianças, de todas elas,
Pequenas e grandes, pobres ou remediadas.
Criança é sinal do reino de Deus como disse Jesus.
Ah, defender as crianças da soberba
De governantes que traem seu futuro
É compromisso de fé,
É agir com honestidade e grandeza.
Há que devolver-lhes – com generosidade –
A música, o teatro, a pintura, o senso de liberdade.
Assim seja, hoje e amanhã.



Roberto E. Zwetsch







quarta-feira, 10 de agosto de 2016

Sobre Orar


Na minha (nossa?) tradição luterana, o Pietismo sempre foi um aspecto muito forte. Não quero aqui voltar às suas origens históricas. Quero falar de como me marcou.
Desde até onde minha memória alcança, aprendi a orar. À hora de dormir minha, mãe vinha até nosso quarto e tomava nossas orações, isto é, ficava ali, às vezes sentada na cama ao nosso lado, esperando que falássemos: “Ich bin klein, mein Herz mach rein. Soll niemand drin wohnen als Jesus allein. Amen”. Traduzido, seria aproximadamente o seguinte: “Sou pequeno, torna meu coração limpo. Ninguém deve nele morar, a não ser apenas Jesus. Amém”.
Um pouco mais tarde, lá por volta dos 11 anos, minha mãe achou que eu deveria aprender uma nova oração, talvez mais adequada a minha idade: “Gott, behüt mich diese Nacht durch dein lieben Engel wach. Mache mich, durch Chisti Blut, rein von Sünden, from und gut. Amen”. Mais uma vez, traduzindo: “Deus, protege-me esta noite, através de teu querido anjo, acordado. Torna-me, através do sangue de Cristo, limpo de pecados, piedoso e bom. Amém”.
Pode-se discutir a Teologia contida em ambas as orações, mas não se tira delas uma sensação de conforto e de aconchego. Nenhuma delas resolve os problemas do dia a dia ou da noite, mas ajudam a que a gente se sinta protegido.
Até hoje, não consigo adormecer sem, no mínimo, balbuciar em pensamento a última oração, ainda em alemão.
No curto tempo em que atuei na Pastoral entre estudantes de Teologia, seguidamente ouvi e conversei sobre angústias, temores e incertezas, além de sentimentos de culpa, com moças e rapazes. Algumas vezes, perguntei se ainda oravam à noite, ou em algum outro momento do dia. Na maioria dos casos, olhavam-me pasmos, como se eu fosse algum ser do passado ou um extraterrestre.
Não, não oravam mais. Sim, já o haviam feito no passado. Mas era coisa de criança, não de teólogos e teólogas.
Constantemente, eu sugeria que orassem. Dizia-lhes que o fazia. Contava-lhes que também me envergonhara disso e desdenhara da oração no passado.
Por que será – ou estou enganado – que as pessoas que estudam Teologia, no geral, perdem aquela sua devoção original, de bons cristãos, que, de tão devotos, resolveram estudar Teologia e colocar-se a serviço do Senhor?
E não falo aqui só de teólogos e teólogas luteranos e luteranas. Em minhas andanças ecumênicas já vi isto em meio a católicos e evangélicos de todos os tipos, ao menos ente os honestos e sinceros, os que abriam seu coração.
Fala-se, hoje, muito em “depressão”. Isso sempre existiu e, em maior ou menor grau, atinge a todas as pessoas. Que foi que aconteceu com Lutero, quando viu o Diabo ao lado de sua escrivaninha, e jogou o tinteiro contra ele? A mesma coisa!
Então, companheiro, companheira, teóloga e teólogo, jogue o tinteiro contra o Diabo, e ore! Diga, pelo menos “Ich bin dein!” – “Eu sou teu”.
Certamente isto será um bom remédio contra a depressão.
E, se você não sentir vergonha, faça isso com uma amiga, com um amigo. Ela, ou ele, orará com você. Depois, abracem-se, pois só podemos sentir o abraço de Deus através dos braços de outra pessoa.

10/08/16, escrito sob o impacto de mais uma morte surpreendente de um colega.
P. Carlos Arthur Dreher



ORAÇÃO DO CUIDADO


Deus do amor, dá-me a tua mão.
Conduze a minha vida e guia os meus passos para que eu caminhe seguro.
Sob as asas da tua providência, sinto-me prestigiado.
E no colo da tua bondade encontro descanso verdadeiro.
Em dias de medo e de angústia, abriga-me em teu poder.
Em momentos de ansiedade, faze pousar sobre mim a tua paz.
Ao sentir-me fragilizado, ajuda-me a ter esperança.
Cuida de mim e dos meus amados.
Cuida do meu destino.
Quando a culpa me acusar, acolhe-me em tua graça.
Absolve-me do pecado e faze-me renascer do teu perdão.
Se eu cair, permite que eu caia em tuas mãos providentes
E se eu permanecer caído, dá-me a tua companhia.
Seja como for, cobre-me com o manto do teu amor.
Graças pelo teu cuidado, graças pela salvação.
Agora, dá-me a bênção que tanto anseio. AMÉM


(Rodolfo Gaede Neto)



quarta-feira, 20 de julho de 2016

Amigos e Amigas...





Tenho amigos que não sabem o quanto são meus amigos.
Não percebem o amor que lhes devoto e a absoluta necessidade que tenho deles.
A amizade é um sentimento mais nobre do que o amor, eis que permite que o objeto dela se divida em outros afetos, enquanto o amor tem intrínseco o ciúme, que não admite a rivalidade.
E eu poderia suportar, embora não sem dor, que tivessem morrido todos os meus amores, mas enlouqueceria se morressem todos os meus amigos! Até mesmo aqueles que não percebem o quanto são meus amigos e o quanto minha vida depende de suas existências...
A alguns deles não procuro, basta-me saber que eles existem. Esta mera condição me encoraja a seguir em frente pela vida. Mas, porque não os procuro com assiduidade, não posso lhes dizer o quanto gosto deles. Eles não iriam acreditar.
Muitos deles estão lendo esta crônica e não sabem que estão incluídos na sagrada relação de meus amigos. Mas é delicioso que eu saiba e sinta que os adoro, embora não declare e não os procure.
E às vezes, quando os procuro, noto que eles não têm noção de como me são necessários, de como são indispensáveis ao meu equilíbrio vital, porque eles fazem parte do mundo que eu, tremulamente, construí e se tornaram alicerces do meu encanto pela vida.
Se um deles morrer, eu ficarei torto para um lado. Se todos eles morrerem, eu desabo! Por isso é que, sem que eles saibam, eu rezo pela vida deles. E me envergonho, porque essa minha prece é, em síntese, dirigida ao meu bem estar. Ela é, talvez, fruto do meu egoísmo.
Por vezes, mergulho em pensamentos sobre alguns deles. Quando viajo e fico diante de lugares maravilhosos, cai-me alguma lágrima por não estarem junto de mim, compartilhando daquele prazer ...
Se alguma coisa me consome e me envelhece é que a roda furiosa da vida não me permite ter sempre ao meu lado, morando comigo, andando comigo, falando comigo, vivendo comigo, todos os meus amigos, e, principalmente os que só desconfiam ou talvez nunca vão saber que são meus amigos!
A gente não faz amigos, reconhece-os.
Poeta carioca Vinicius de Morais



AMIZADE



"Mesmo que as pessoas mudem 
e suas vidas se reorganizem, 
os amigos devem ser amigos para sempre, 
mesmo que não tenham nada em comum, 
somente compartilhar as mesmas recordações.
Pois boas lembranças, são marcantes, 
e o que é marcante nunca se esquece!
Uma grande amizade 
mesmo com o passar do tempo 
é cultivada assim!"

(Vinícius De Moraes)


QUANDO É O DIA DO AMIGO E DA AMIGA?


Como sempre, essas datas costumam criar um monte de confusão. Muita gente celebra hoje, dia 20 de julho, o Dia do Amigo. Para a ONU, o Dia Internacional da Amizade é o dia 30 de julho. E agora, você sabe a razão dessas duas datas? O dia 20 de julho como Dia do Amigo vem da Argentina. A data foi criada pelo médico Enrique Ernesto Febbraro, que usou o dia da chegada do homem à Lua, em 20 de julho de 1969, para enviar quatro mil cartas a diversos países para instituir o Dia do Amigo. Febbraro dizia que a chegada do homem à Lua era "um feito que demonstra que, se o homem se unir a seus semelhantes, não há objetivos impossíveis". O Brasil e o Uruguai aderiram à proposta de Febbaro.
Mas o Brasil também aderiu à proposição da ONU, que decidiu no dia 27 de abril de 2011, durante o 65a. sessão da Assembleia Geral das Nações Unidas, dentro do tratamento da "Cultura de paz", reconhecer "a pertinência e a importância da amizade como sentimento nobre e valioso na vida dos seres humanos de todo o mundo". Assim, decidiu designar como Dia Internacional da Amizade o dia 30 de julho, em concordância com a proposta original promovida pela Cruzada Mundial da Amizade. A iniciativa foi apresentada conjuntamente por 43 países (incluindo o Brasil e quase todos os países sul-americanos), e foi aceita unanimemente pela Assembleia Geral.
Portanto, hoje e daqui há dez dias, VIVA A AMIZADE!


P. Clóvis Horst Lindner


domingo, 5 de junho de 2016

ORAÇÃO DO AMANHECER




Louvado sejas, Senhor, pela nova manhã brilhante, ensolarada, preguiçosa, ar fresco, flores nas calçadas transbordando primavera.

Louvados sejas, Senhor, pela vida que amanhece, esperança dos desempregados, café com leite e pão com manteiga, 
sorriso de criança, pássaro cantando na janela.
Louvado sejas, Senhor, pela vida que chega novinha,
mesmo com chuva forte, limpando as tristezas da vida, 
purificando intenções.

Louvado sejas, Senhor, pela vida de tantas mulheres e homens: empregadas domésticas, pedreiros, 
jornalistas, professores, enfermeiros, 
motoristas, cientistas, agricultores, mãos estendidas, 
vidas a serviço da vida. Obrigada, Senhor. 

(Inês de França Bento)


Vento de Deus




Vento de Deus! 

Tu que sopras onde quer, 
dando vida, aproxima-te, sopra fecundo! 
Sopra-me, vida em teu sopro! 
Faze-me todo janelas, olhos abertos e abraço.
Leva-me em Boa Notícia sobre os telhados do medo, 
passa-me em torno das flores, 
beijo de graça e ternura. 
Joga-me contra a injustiça em furacão de Verdade.



(Pedro Casaldáliga)



Bênção Gálica do Século XV




Que Deus esteja em minha cabeça e em minha razão;
Que Deus esteja em meus olhos e no meu olhar.
Que Deus esteja na minha boca e nas minhas palavras;
Que Deus esteja em meu coração 
e em meu pensamento;
Que Deus esteja em mim até o momento 
do meu fim e da minha partida.



sexta-feira, 29 de abril de 2016

Sou Luterana...



KATHARINA VON BORA...

uma mulher empoderada do tempo da Reforma

fugiu do convento...

ela disse que queria casar com Lutero...

foi uma grande administradora...

ela era juíza no mercado...

isto é, ela, lutava pelo preço justo dos produtos...

negociava com os editores dos livros de Lutero...



SOU LUTERANA...

PROTESTANTE...

EMPODERADA...
.
DA TRADIÇÃO DE CATARINA



Pa. Dra. Claudete Beise Ulrich

segunda-feira, 25 de abril de 2016

SER PÁSCOA




É ser capaz de mudar,
É partilhar a vida na esperança,
É lutar para vencer toda sorte de sofrimento,
É dizer sim ao amor e à vida,
É investir na fraternidade,
É lutar por um mundo melhor,
É ajudar mais gente a ser gente,
É viver em constante libertação,
É crer na vida que vence a morte.

Páscoa, acima de tudo é crer e
Viver a ressurreição de Jesus cada dia.

ABENÇOADO TEMPO PASCAL